Ralicross Montalegre I    Regulamento Part.da Prova       Ficha de Inscrição   Lista de Inscritos     Tempos Online       Mapas de Classificações   N/D - Não disponível

Pedro Rosário voltou a vencer em Lousada, tal como tinha acontecido na primeira passagem por este circuito.

 

 

 

 

Na prova do Nacional de Kartcross, há que assinalar uma presença. A do conhecido ator e comediante, Pedro Alves. Uma prova em que demonstrou ainda saber pilotar.

Além, disso, houve muita polémica, principalmente pelo muito pó que existiu, quase sempre. O sistema de rega do circuito, não era suficiente e os pilotos reclamavam. Nuno Godinho, viria a ser desqualificado da prova, pela forma como se insurgiu contra essa situação. Uma desqualificação que o piloto aceita, pois referiu que, na realidade, ultrapassou os limites do razoável. Também uma rega, em que a água foi demasiado, levou a vários protestos.

Nos treinos, Luís Almeida (Semog) foi o mais rápido, seguido por Rui Nunes (Semog) José Luís Pereira (AG Sport) José Mota (Semog) e Pedro Rosário (Semog ER). Todos dentro do mesmo segundo, como ficaram, também, os nove seguintes pilotos.

Nas qualificações, em que o pó mais pilotos prejudicou, Pedro Rosário conquistou a pole, ao vencer a derradeira qualificação. Seguiram-se Mário Rato (Semog), José Luís Pereira(AG Sport), Jorge Gonzaga (ASK R268), José Mota (Semog), Rui Nunes (Semog), Nuno Bastos (ASK Evo 16), Sérgio Castro (ASK Evo 14), José Carlos Pinheiro (Semog) e João Matias (HSport). Eram estes os dez primeiros, dos 20 apurados para a derradeira corrida.

Na final, ao partir de fora, Pedro Rosário concretizou um excelente arranque. Chegou já frente à primeira curva e não mais deixou de liderar. Atrás deles esteve José Luís Pereira. Cortou a meta em segundo, mas uma penalização por ultrapassar as linhas de partida, atirou para a terceira posição, por troca com Mário Rato. Mais tarde, recuperaria esse lugar, com a desqualificação de Rato, pois todos os pilotos, a partir do segundo lugar, subiram uma posição na tabela classificativa. A seguir a Pereira, terminou Jorge Gonzaga, seguido de José Mota, Nuno Bastos, Sérgio Castro, João Matias, Tiago Freitas e Gonçalo Valentim. Foram os dez primeiros dos 20 que alinharam na final.

Com a prova terminada, veio a saber-se que os carros de Pedro Rosário, Mário Rato, José Luis Pereira e Rui Nunes, iriam ser alvos de uma verificação técnica final, mais profunda do que o habitual.

Porém, a polémica voltou a acontecer, quando alguns pilotos retiraram os kartcross do Parque Fechado, antes de ser dada ordem para isso. Segundo se ouviu referir, tal aconteceu por um elemento ligado à segurança, o ter autorizado, quando deveria somente permitir que fossem tirados os transponders de cronometragem, dos kartcrosses.

Muitas horas depois, seriam conhecidas as desqualificações de Mário Rato e Rui Nunes. Embora sem qualquer confirmação oficial, os pilotos em causa deverão ter sido desqualificados, pelos seguintes motivos. Rui Nunes, por ter um sistema de injeção que não pertencia aquele motor e Rato, por as árvores de cames terem sido trabalhadas.

Pedro Rosário (Semog ER)

José Luís Pereira (AG Sport)

Jorge Gonzaga (ASK R268)

Partida da final