Facebook

Apoios

Em Montalegre, os dois pilotos do Team Neutura, com os Toniauto TNTT, abriram o champanhe da vitória. Nuno Neto o da prova e Ludgero Santos o do Troféu.

 

 

 

O Troféu Super Buggy teve um número de participantes abaixo do esperado. Foram somente cinco os participantes. Mas mesmo com esse número, foi-nos dado apreciar uma das melhores finais de todo o dia. Se calhar, até a melhor de todas.
Ludgero Santos estava presente para conquistar o título. O que aconteceu quando participou na final. Para Sever do Vouga, fica a luta pelo segundo posto, entre Nuno Neto, Manuel Guerreiro e Paulo Godinho.
Nas corridas de qualificação, Ludgero Santos venceu duas, deixando a restante para Nuno Neto. Eram os dois primeiros na grelha de partida da final, com Paulo Godinho também na linha da frente. Segunda linha, para Manuel Guerreiro e Arménio Rodrigues. Ver classificação.
Na final, Manuel Guerreiro, da Atmos Racing, a lembrar os seus melhores tempos, é quem curva na frente, na primeira viragem do circuito. Fica na liderança e lidera a primeira volta, com Nuno Neto em segundo e Ludgero Santos imediatamente atrás. No decorrer da segunda volta, Ludgero Santos passa para frente de Nuno Neto, mas Manuel Guerreiro continua a liderar. Mais uma volta, a terceira, com muito despique, quanto ao pódio. Guerreiro na frente, Neto ultrapassa Santos, mas este recupera o segundo posto. A terceira volta é completada com Guerreiro na frente, seguido de Ludgero Santos e de Nuno Neto. Travagem para a primeira curva do circuito, com os dois primeiros a travarem demasiado tarde e a abrirem as trajetórias. Ludgero Santos passa Manuel Guerreiro, mas Nuno Neto com muita maestria ultrapassa os dois e fica na frente. A luta entre Neto e Santos continua, até ao baixar da bandeirada de xadrez. Neto vence, Santos é segundo. Guerreiro, corta a meta um pouco mais tarde, na terceira posição. O quarto lugar é de Arménio Rodrigues, em Atmos, o único “Calimerro” presente. Por onde andarão os outros?
Paulo Godinho, com o seu PGRacing, que lutou com Arménio pelo quarto posto, parou no decorrer da quarta volta. Foi o quinto classificado. Ver classificação final.
Uma excelente final, que prova que prova a “velha máxima”. No Ralicross não é a quantidade que faz o espetáculo. Muito pelo contrário.

Nuno Neto

Ludgero Santos

Manuel Guerreiro

Pódio - Ludgero Santos, Nuno Neto e Manuel Guerreiro (esqª/dirª)

Apoios

                    

rodape_2.png

Rx-Kx-SB na Federação

FPAK

Go to top
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com