Na Super Buggy, que teve seis participantes, a vitória foi de António Santos. Uma categoria que teve algumas novidades.

 

 


A jornada marcou uma quase estreia, a de Rui Godinho (Atmos), piloto que tinha, anteriormente participado na Taça de Ralicross de 2016. Regressou com o carro que foi de Arménio Rodrigues, pois este adquiriu o GTR MXG, a António Estevão. Quanto a este, alinhou com o seu CAN AM Bombardier. Pena que mais destes carros, não venham para o Ralicross.
Nas qualificações, António Santos (Toniauto TT) venceu duas das três, deixando a outra para Paulo Godinho (Super Buggy PG), o vencedor de Lousada. Eram os dois primeiros na grelha da final, onde também de encontrava Rui Godinho.
Foi uma final com alguma emoção à mistura, pela luta pelo primeiro lugar, entre Santos e Godinho. Terminaram por esta ordem.
Mais atrás, pelo terceiro lugar, também a disputa foi grande. Esta posição foi de Nelson Barata (Toniauto Powernb), com António Estevão a terminar na traseira do Toniauto.
Arménio Rodrigues ficou na quinta posição, deixando atrás de si um dos principais animadores da jornada, Rui Godinho. Foi sexto, ao parar na penúltima volta.
Classificação Final

António Santos

Paulo Godinho

Nelson Barata

Pódio – Godinho, Santos e Barata

Direitos de autor © 2018 Offroad Portugal. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um software livre produzido sob a licença GNU GPL.
Go to top
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com