Apoios

Pouco passava das 18 horas, quando terminou a última corrida da tarde. Pena que assim não aconteça em todas as jornadas.


Mesmo com alguns atrasos, quase todos justificados, a Escuderia recuperou e terminou a jornada a horas “decentes”.
Os pódios foram rápidos, bem organizados (ou não estivesse lá o Presidente da Escuderia) e decorreram enquanto se formavam as grelhas da final seguinte
A locução foi da “prata da casa” e não deslustrou. Além de muita informação, ainda teve tempo de partilhar alguns vídeos, entre eles uma entrevista ao OffRoad Portugal. Pode vê-la AQUI.
Também a cronometragem, com o regresso da Kronoracing, esteve em bom plano. Houve informações na internet e rapidez na publicação dos resultados, bem como a sua precisão.

Pedro Tiago continua imbatível
Pedro Tiago, Citroën Saxo, vai na sua segunda temporada de vitórias. Desde o início da temporada passada que ninguém o bate.
Em Castelo Branco, venceu três qualificações, a outra foi de Luís Morais, e a final. Tiago esteve sempre pressionado por Leonel Sampaio, Citroën Saxo, e Luís Morais, mas a vitória não lhe fugiu.
Quanto ao segundo posto, a luta foi entre Sampaio e Morais, com ambos a mostrarem os seus argumentos. A pouco mais de duas voltas do fim, Sampaio raspou com uma roda nos muros e estes não perdoaram. Parou com uma transmissão partida e ficou na sétima posição.
Luís Morais terminou na segunda posição, que até já seria sua, pois Sampaio teria de cumprir uma segunda passagem pela Joker, por falsa partida.
Bruno Lima, Citroën Saxo, que regressou esta temporada, foi o terceiro classificado, seguido de Américo Sousa (Citroën Saxo) e Tiago Ferreira (Peugeot 106), que terminaram muito juntos.
Agostinho Sousa (Citroën Saxo), que teve muitos problemas elétricos nas qualificações, foi sétimo e último a terminar na volta do vencedor.
Vitor Sousa ficou-se pelas corridas de qualificação, com um problema mecânico.
Pedro Tiago lidera o Campeonato da A1.6, seguido de Luís Morais e de Tiago Ferreira.
Classificação final

Fotos - OffRoad Portugal (direitos reservados)

Mais uma para Ribeiro
João Ribeiro voltou a vencer, com o Citroën Saxo. Venceu três das quatro qualificações, com Hélder Ribeiro, Citroën C2, a ser o mais rápido na restante.
A partida da final foi repetida, depois de mostrada uma bandeira vermelha. Houve alguma confusão, pois pensava-se que a interrupção tinha sido causada por uma falsa partida de Hélder Ribeiro. Na realidade, o que aconteceu, prendeu-se com a falta de volta de reconhecimento, face ao facto da pista ter sido regada. Regada, até em demasia, refira-se.
Após as mangas, Ribeiro estava em primeiro, Joaquim Machado, Peugeot 208, em segundo e Sérgio Dias, Renault Twingo, em terceiro.
Na final, João Ribeiro venceu, com Joaquim Machado e Hélder Ribeiro, muito próximos, a tentarem pressionar o líder.
O quarto a terminar a prova, foi José Eduardo Queirós, Peugeot 206, que continuou competitivo, mesmo depois do acidente de sábado.
Rogério Sousa, Ford Fiesta, que chegou a estar no segundo posto foi quinto, depois de ter sido mais um dos principais intervenientes, desta jornada.
Nuno Araújo, Citroën C2, ficou na quinta posição, sendo o último a terminar na volta do vencedor.
Ficaram. Ainda, classificados António Sousa, Peugeot 208, e Sérgio Dias, Renault Twingo. Ambos não completaram mais do que uma volta.
De fora da final, Ricardo Soares e André Sousa.
João Ribeiro lidera o Campeonato da Super 1600, seguido de Joaquim Machado e Hélder Ribeiro.
Classificação final

rodape_1.png

Rx-Kx-SB na Federação

FPAK

Go to top
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com