Quanto ao Regulamento desportivo e considerando o que poderá do interesse do público em geral, deixamos algumas explicações para esta época.

Quanto às divisões no Ralicross, temos duas novas classes.

Uma nos Super Car, que tem agora uma divisão para os R5. Assim a Super Car passa a ter três subdivisões, Div.1 Super Car, Div.2 Nacional 4WD e Div.3 R5.
Também os Iniciados passam a ter mais uma subdivisão. Teremos nos Iniciados duas classificações, 1400 e 1000, segundo as cilindradas das viaturas.
As subdivisões correm juntas, dentro da sua divisão. As grelhas serão elaboradas conforme os tempos. Ou seja, independentemente de ser uma viatura 4WD, poderá ser dela a pole nos Super Car, por exemplo. Teremos assim no final dos Campeonatos um Campeão absoluto, que poderá ser de qualquer subdivisão e um Campeão por subdivisão.
Quanto ao calendário, conforme já noticiamos (ver notícia) os concorrentes terão que estar presentes em oito das nove provas possíveis. Para o Campeonato serão contabilizados os sete melhores resultados, não podendo o resultado de uma ausência ser excluído.
Para o Campeonato, após a inscrição prévia no mesmo, irão contar os pontos obtidos nas corridas de qualificação e nas finais. Para que o Campeonato seja válido é necessário existirem no mínimo três pilotos classificados em três provas na divisão ou subdivisão em causa.
Os treinos cronometrados deixam de existir, passando a ser sorteada a posição na grelha de partida para a primeira corrida. Nas restantes os pilotos serão alinhados pela classificação na corrida anterior. Serão criadas séries, caso existam mais que cinco pilotos, assim o piloto melhor classificado terá a pole na primeira série, o segundo melhor terá a pole na segunda.
De referir que a pole é o lugar da grelha melhor posicionado para a primeira curva do circuito.
O Ralicross continuará a apresentar grelhas de cinco em linha nas corridas de qualificação, que continuam a ter 5 voltas. A classificação na corrida de qualificação (após séries) será pelo tempo total da corrida. Podendo desta forma, por exemplo, um concorrente ganhar uma série, mas ficar classificado em quinto na corrida.
Quanto às meias finais, só terão lugar se existirem doze ou mais pilotos classificados. Estarão presentes nas meias finais os dezasseis pilotos com melhor classificação. Das meias finais serão apurados os quatro melhores pilotos de cada série para a final.
As finais terão sete voltas e oito pilotos. Vindos das meias finais, se existirem, ou vindos da classificação nas corridas de qualificação. No último caso considera-se as três melhores pontuações obtidas.
Quanto às interrupções, bandeira vermelha, as de corridas de qualificação e meias finais serão repetidas. Na final aplica-se a regra dos 70 porcento das voltas efetuado. Ou seja mais de 70 porcento a corrida é válida, menos a corrida será repetida.
Nos nossos Campeonatos existe Joker Lap.  A joker é conhecida como a volta mais longa, é um percurso alternativo que tem que ser percorrido uma vez, por todos os participantes. Caso tal não aconteça a penalização é de 30 segundos. Uma segunda passagem pela joker lap poderá ser aplicada ao condutor por falsa partida. Falsa partida ocorre sempre que a viatura se mova antes do tempo, após formalizado o procedimento de partida.
Este é, de uma forma muito simplificada, o formato para as provas. Poderá consultar o regulamento completo AQUI.

Nota: O acima refere-se ao Regulamento em vigor e atualizado a 18/12/2019

Pin It
rodape_3.png
Go to top
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com