Regresso do Ralicross,após pandemia. Pista da Costilha, Lousada (Continuação).

Quanto aos Super Car, de salientar dois nomes que estavam arredados das pistas há já algum tempo. Joaquim Santos, Ford Focus e José Lameiro, Skoda Fabia.
Foi de Santos o lugar mais alto do pódio. Lameiro apareceu com o Skoda, que pouco tinha rodado até agora. Preparado pela DM Motorsport, o Skoda aguentou a prova toda, apesar de um toque que o deixou parado em pista. Foi de José Lameiro o segundo lugar.
Daniel Pacheco, Subaru Imprenza foi o terceiro e primeiro dos carros menos musculados. Os da divisão II dos Super Car, antiga 4WD. Frederico Santos, Mitsubishi Lancer, ficou-se pela segunda corrida. Resultado de um toque, em que a viatura ficou bastante maltratada.

 Daniel Pacheco - Super Car Div.II

Joaquim Santos - Super Car Div.I

A Super 1600, como é habitual, esteve ao rubro. Foram doze os pilotos a alinhar nos treinos livres. De salientar dois regressos à modalidade e um "habitué" em Lousada”.
Quanto ao "habitué", falamos do piloto Joaquim Pacheco, Citroen C2, que já foi piloto assíduo no Ralicross, mas que, ultimamente, só marca presença nas provas de Lousada.
Quanto aos regressos, João Ribeiro, Campeão em título, que testou o seu novíssimo Skoda Fabia, já se sabe que a viatura ficou em Portugal. O outro regresso foi de Rodrigo Ribeiro, que alinhou com o Citroen Saxo do seu filho João. Rodrigo Ribeiro foi protagonista de um espetacular capotanço, que não deixou quaisquer mazelas a não ser na viatura.
Com doze pilotos apurados para a final, foi necessário realizar Meias Finais, de cada uma delas, saíram os quatro primeiros classificados para a final.
João Ribeiro foi o primeiro classificado na final, seguido de Joaquim Machado, Peugeot 208, com pouco mais de cinco segundos de diferença. Em terceiro terminou Bruno Gonçalves, Citroen Saxo, seguido de Rogério Sousa, Ford Fiesta. André Sousa, Peugeot 207, conquistou o quinto lugar. Sérgio Dias, Renault Twingo, foi sexto e José Queirós, Peugeot 206, foi sétimo. Estes foram os pilotos que acabaram a corrida final. De salientar que entre o vencedor e o último classificado passaram 11 segundos e 498 milésimas.
Ainda na final alinhou Jorge Machado, Citroen C2 que se só deu 3 voltas.
De fora da final, mas classificados por esta ordem, ficaram Nuno Araujo, Skoda Fabia, António Sousa, Peugeot 208, Joaquim Pacheco, Citroen C2 e  Rodrigo Ribeiro, que já referimos estava fora devido ao estado do Saxo.
Corridas de cortar a respiração foi o que assistimos nesta divisão que é já a "rainha" do Ralicross.

João Ribeiro - Super 1600

Rodrigo Ribeiro - Citroen Saxo

 

Pin It
rodape_2.png
Go to top
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com